Financiamento Coletivo

Conheça mais sobre esse caminho que pode viabilizar a sua publicação sem que você precise investir dinheiro com a edição e impressão.
Se você já experimentou esse modelo e quer compartilhar sua vivência ou tem um projeto super inovador e quer divulgá-lo por aqui, mande um e-mail para contato@saibapublicar.com.br.


O que é crowdfunding? O crowdfunding ainda é algo relativamente novo, mas vem crescendo no Brasil e tem sido bastante procurado por artistas independentes (mas com bom planejamento e em geral com boas equipes trabalhando junto) para viabilizar diferentes atividades culturais, inclusive para a publicação de livros. Só me interessei por entender mais a fundo a dinâmica desses portais que captam recursos via web depois de ser convidada a apoiar uma peça de teatro na qual atua uma amiga. Foi assim que conheci o Catarse e decidi investigar se e o quanto aquele mecanismo era aproveitado para viabilizar projetos na área de literatura. Então, resolvi avaliar os tipos de projetos cadastrados e as estratégias utilizadas pelos que pleiteavam recurso para viabilizar suas publicações, fosse no formato impresso, e-book ou ambos. Segundo o Estadão, em 2012, plataformas de crowdfunding cresceram 85% e arrecadaram US$ 1,4 bilhão no mundo, viabilizando desde projetos de produção de hardware a eventos e produtos culturais. No Brasil, o crowdfunding se consolidou principalmente como um modelo de apoio a projetos culturais, mas em outros países é muito utilizado por diversos tipos de empreendimentos. Esses serviços cobram um percentual do total arrecadado, caso a meta de arrecadação seja atingida. Em geral esses sites funcionam de modo similar, variando as taxas cobradas e o tipo de apoio na elaboração das campanhas. Em algumas plataformas, quando o projeto não consegue o total previsto, não leva nada e a grana é devolvida aos apoiadores (que são convidados a escolher outro projeto a apoiar). Quem é quem no crowdfunding no Brasil? Catarse Em […]

Crowdfunding para livros



O que faz a Bookstart? A proposta da plataforma BookStart é o crowdfunding específico para livros. Uma iniciativa focada no mercado editoral e com a promessa de ser também uma vitrine literária. A estrutura geral não difere muito dos grandes portais focados em financiamento coletivo, exceto pelo fato de só haver projetos para publicação. Como utilizar? Claro que a curiosidade me forçou a fazer o cadastro para entender a ferramenta do ponto de vista do autor, mas ainda não coloquei nenhuma campanha no ar porque já sei que é preciso planejar muito bem antes de dar o pontapé inicial. O cadastramento de todas as informações no site é muito simples, mas exige a elaboração de um plano detalhado, pois não é possível ter sucesso numa campanha de crowdfunding sem um projeto muito bem elaborado, contemplando especialmente os seguintes aspectos: orçamento consistente (gaste tempo nisso, é importante contemplar todos os gastos, inclusive o percentual de remuneração da plataforma) cronograma de trabalho (que inclua o envio das recompensas prometidas na campanha!) plano de divulgação (ESSE PONTO É CRUCIAL! Assim mesmo, letras grandes) Uma coisa que achei bacana na Bookstart foi o fato de disponibilizarem um bem organizado conjunto de dicas sobre a divulgação para obter apoio. Claro que não é um passo a passo capaz de responder a todas as ansiedades dos autores que estão tateando nesse mundo tão novo do “pare de se lamuriar porque as editoras não te responderam e corra atrás de possibilidades”, mas dá boas pistas dos caminhos a seguir. Quanto custa? O percentual que é […]

Bookstart – crowdfunding só para livros



Que o crowdfunding veio para ficar e está crescendo um monte de gente já sabe. Mas além das plataformas tradicionais, há iniciativas mais voltadas ao mundo dos livros, como a plataforma de crowdfunding especializada no foco editorial sobre a qual já falei aqui no site, a Bookstart e iniciativas como a publicação da antologia Desordem. Entre maio e outubro de 2014, o site Bookstorming (que já não está mais no ar) funcionou como uma campanha única de crowfunding especificamente para publicação da obra. Não sei quais as razões que fizeram com que a iniciativa parasse depois de uma única publicação, que parece ter dado muito certo, mas essa volatilidade parece ser a marca dos nossos tempos. Na época em que o projeto foi lançado houve muita divulgação e comentários, mas o site não tinha tantas informações, então enviei um “alô” para os responsáveis pela ideia e recebi um retorno rápido e atencioso. Uma das coisas que me responderam é que a ideia não era criar mais  plataforma de autopublicação via crowdfunding, mas sim tocar um processo editorial com curadoria. Segundo um dos idealizadores seria “uma nova experiência de compra dos livros, mas também uma nova forma de descobrir a literatura de qualidade que todos os dias se faz no Brasil e que não encontra espaço nas grandes editoras. Estamos atrás de livros instigantes, inovadores e que representem a riqueza da literatura brasileira contemporânea”. Gostei demais de ver gente investindo nisso porque esta sempre me pareceu uma lacuna e tanto em nosso cenário. Muito se tem falado sobre as […]

Misto de editora e crowdfunding



Você sabe como ter sucesso no crowdfunding? Eu ainda não lancei nenhuma campanha de crowdfunding para publicar um livro, mas tenho apoiado vários projetos e procuro entender esse mecanismo que tem crescido muito nos últimos tempos e me parece uma das vias possíveis para realizar diferentes tipos de projeto cultural que talvez não tenham forte apelo comercial, ao menos segundo a ótica de quem decide, no mercado tradicional, no que investir. Por isso resolvi organizar aqui algumas das percepções que construí em pesquisas e como apoiadora de campanhas que me cativaram e adotei o formato “listicle“. São dicas que eu mesma pretendo seguir e podem não ser uma garantia, mas são pontos em comum para quem consegue ter sucesso no crowdfunding e se você quiser publicar via financiamento coletivo, precisa se ligar nelas. Antes mesmo de ler essas dicas, é importante que você pondere que colocar uma campanha no ar não pode ser uma decisão impulsiva, tomada na primeira vez que visitar o site de uma plataforma de financiamento coletivo. Considere que muitos dos seus amigos e familiares (seus potenciais apoiadores) pode não se sentir confortável em fornecer um número de cartão de crédito para a plataforma que você escolheu ou simplesmente não costuma efetuar qualquer tipo de compras pela web. Considere, inclusive, se esse é realmente o único meio que você tem de financiar seu sonho. Pondere que, não ser bem sucedido (atingir a meta de arredação estipulada), pode gerar frustração porque você não vai levar nada (das plataformas que já avaliei, você só põe a mão […]

Como publicar via financiamento coletivo