Como publicar na Kobo


Kobo Writing Life

KWL é a a plataforma de autopublicação da Kobo, que permite que você publique e-books de modo bastante simples e os disponibilize na própria loja Kobo e na Livraria Cultura. Com base no teste de publicação que fiz com a seleção de contos Contos.com.MK, patilharei com vocês um pouco da experiência em si e de seus resultados.

Cadastro

Se você já tem uma conta de usuário na Livraria Cultura, pode fazer logon na Kobo com ele, e a partir daí preencher seu cadastro na KWL.

Envio do Texto

No meu caso, decidi aproveitar a possibilidade de enviar o ePub ao invés de utilizar a conversão automática da plataforma, mas você pode enviar arquivos .doc, .txt ou .PDF. Atualmente há outras plataformas que já aceitam o envio direto de ePub, mas quando fiz o primeiro teste esss era um diferencial da Kobo. Vale dizer que, embora o Sigil (software livre que utilizei mais com a função de aprendizado do que pensando em resultado final) seja aparentemente simples de usar e o livro seja basicamente texto, não tenho a habilidade suficiente para produzir um volume visualmente atraente. Acredito que o resultado final não contenha falhas graves, mas certamente uma edição profissional seria melhor (#prontofalei).

Ferramentas de divulgação

Para este e-book praticamente não fiz divulgações, apenas enviei o livro como cortesia a alguns potenciais leitores cuja afinidade com o livro eletrônico ou a opinião sobre os textos me interessava. Como a ferramenta não oferece a possibilidade de geração de códigos de desconto ou envio gratuito, tive de comprá-los e enviar. Dos links enviados (cerca de 10) apenas 3 leitores chegaram a efetuar o download, pois, naturalmente, para receber a cortesia o usuário precisaria se cadastrar na loja Kobo e isso pode representar um incômodo para muitos usuários.

Precificação

A grande vantagem do KWL em relação, por exemplo, ao KDP da Amazon, é que o autor pode definir o preço do seu e-book como zero (coisa que já testei algumas vezes e sempre resulta em um salto no número de downloads) e usar uma estratégia de divulgação para distribuição gratuita. Na Amazon isso só é possível se o autor aderir ao KDP Select, que obriga o autor a distribuir aquele e-book exclusivamente pela Amazon (isso nem sempre é vantajoso, lembremos que a Amazon trabalha com formato proprietário (não é lido em qualquer e-reader) e o usuário pouco experiente não consegue usar o arquivo em um aparelho da Kobo, por exemplo).

Lógico que sem um plano bem estruturado, uma lista de contatos qualificado e uma campanha bem bolada em redes sociais, a distribuição gratuita dificilmente terá qualquer efeito siginificativo.

Acompanhamento de vendas

O painel de acompanhamento das vendas é bastante simples e atualizado de modo rápido. A divisão de lucros com a plataforma prevê o percentual de 70% para o autor quando o preço definido for maior ou igual da US$2.99. Valores abaixo disso garantem uma margem de 45% para o autor. Mas, como em todas as outras plataformas que testei, o autor só recebe após acumular acima de US$100.00 em royalties.

A dificuldade que encontrei nesta plataforma foi o cadastramento da conta bancária. Quando usava o Bradesco foi tudo tranquilo, mas quando mudei de banco, foi bem difícil encontrar os dados necessários para cadastrar minha agência, pois eles emitem pagamentos em dólares e isso requer informar um determinado código da agência. A outra dificuldade é que para solucionar o problema tive de entrar em contato com help da plataforma, que só atende emails em inglês.

Resumo das impressões sobre o Kobo Writing Life

A plataforma é bastante simples e amistosa. Alterações de preço e atualização de arquivo, quando necessárias, rapidamente se refletem em atualização nas lojas virtuais (no caso do preço a alteração se deu em 24 h, mas somente na Kobo Books). A integração com a loja da Cultura é uma vantagem interessante desta ferramenta, pois acaba atingindo um publico vinculado à livraria pioneira na divulgação de e-books no país, antes mesmo da chegada da Amazon. Mas nunca é demais lembrar que nenhuma plataforma faz milagres, alcançar público e, portanto, vender ou distribuir muitos livros depende de um planejamento bem feito e muito trabalho duro.

E, por fim, convido outros autores que estejam lendo esse artigo e tenham publicado em qualquer dessas plataformas de auto publicação a compartilharem suas experiências (deixe um comentário ou envie um mail: contato@saibapublicar.com.br.

avaliação geral: green-star-mdgreen-star-mdgreen-star-md

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *