Como Publicar via Escrytos

Como publicar via Escrytos, plataforma da Leya

Plataforma de autopublicação da Leya

Lançada em 2014, a Escrytos  é a plataforma de autopublicação da LeYa, que iniciou suas operações em Portugal e oferece como atrativo a possibilidade de acesso para venda em lojas como iBookstore, LeyaOnline, Barnes & Noble, Livraria Saraiva, Google, ISubmarino e Wook.

O diferencial nesse caso é que, ao contrário da Kobo (incluindo Livraria Cultura), e da Amazon onde o autor pode vender diretamente com bastante facilidade, a Google Play e a iBookstore envolvem um grau maior de esforço e burocracia para que se possa vender nelas, assim, um intermediário que facilite e acelere o processo é algo convidativo. Vale ressaltar que essa possibilidade também existe na plataforma Smashwords, mas esse não possui site nacional.

Avaliando vantagens e desvantagens

Com o florescer de tantas alternativas de autopublicação é possível que o autor pouco malicioso descuide da análise criteriosa dos termos e condições que precisará aceitar para poder publicar sua obra em determinada plataforma, acreditando que todos os serviços se equivalem e que as condições são similares.  Isso é um erro, caro autor. Os contratos para publicação de livros em formato digital e para a sua disponibilização em diferentes sites de venda podem variar significativamente. Nunca conclua o cadastro e a publicação sem ter lido com atenção os termos de uso ou contratos.

Vantagens da Escrytos

Além da publicação sem custo de sua obra em versão e-book, com geração de capa também gratuita, a Escrytos oferta diferentes serviços editoriais que podem fazer a diferença para o autor iniciante, embora esses serviços não sejam gratuitos. Para um parecer crítico de uma obra de aproximadamente cem páginas, por exemplo, o autor terá de desembolsar algo em torno de R$750,00 para um original de 100 páginas. Se quiser planejar uma boa divulgação do livro (serviço não oferecido pela plataforma), o autor pode contratar a confecção de um Book Trailer de 15 segundos por R$1.300,00. Revisão e Press Release são outros serviços que o autor poderá contratar para seu e-book. Os custos de acordo com o seu material podem ser calculados no site.

Desvantagens

A primeira diferença negativa em relação à maioria dos serviços no gênero é que enviar o arquivo já em ePub não é uma opção e sim uma necessidade. O mais “caro”, no entanto, tem a ver com as regras contratuais, que obrigam à exclusividade da distribuição, ou seja, seu e-book só pode ser vendido através da Escrytos por um período mínimo de cinco anos! E com essa regra bastante rigorosa, era de se esperar que o percentual de remuneração para o autor fosse ao menos parecido com o que é possível obter na Amazon, por exemplo (até 70%), mas se restringe a 25% do preço de venda, que, aliás, o autor não pode gerenciar livremente ao longo desse período.

Foi na leitura atenta dessas regras (pelas quais muitas vezes passamos batido, simplesmente clicando no “Eu aceito”) que desisti de seguir adiante com o teste. Mesmo com o meu perfil de autor (totalmente desconhecida e potencialmente desinteressante para o mercado), com as experiências que já tive em outras plataformas de autopublicação simplesmente não valeria a pena prender qualquer texto a uma única plataforma por um período tão longo e com um royalty tão baixo a menos que houvesse alguma contrapartida de divulgação. Para amenizar o inconveniente, o contrato se refere exclusivamente ao formato digital, ficando o autor livre para produzir e distribuir a versão impressa do mesmo material, do qual, vale frisar, continua detendo os direiros autorais.

Isso não significa, no entanto, que esses termos não possam funcionar para alguns autores ou para determinados tipos de publicação. Digamos, por exemplo, que você não quer se dar ao trabalho de fazer o cadastro em cada uma das lojas virtuais que realmente importam, tem alguma grana para investir nos serviços editorais extra oferecidos para os cadastrados na plataforma, e se acha em condições de planejar uma divulgação capaz de tornar sua obra visível a ponto de gerar vendas consistentes, o e-book distribuído em tantas lojas pode inclusive ser visto como uma ferramenta adicional à promoção do impresso, que o autor pode escolher outros caminhos para produzir.

E se alguém aí que me lê já se aventurou e quiser partilhar suas experiências na Escrytos conosco, faça bom uso da caixa de comentários.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *